Participação na Via Tecnológica do Leite 2017

A Energy Sol Sistemas Fotovoltaicos participou entre os dias 28 de junho a 02 de julho de 2017 da Via Tecnológica do Leite, maior Evento indoor do Paraná.

 

“A produção de leite no Sudoeste do Paraná vem crescendo constantemente, tendo se tornado o sustentáculo das pequenas propriedades, gerando renda e oportunidade para as famílias rurais e tendo participação expressiva na economia da maioria dos municípios da região. Percebeu-se, no entanto, que deveria haver uma oportunidade na qual todos os envolvidos com a cadeia produtiva do leite se reunissem e traçassem rumos nas ações em desenvolvimento. Surge então o projeto da Via Tecnológica do Leite.”  (Fonte:http://www.calendariodoagronegocio.com.br/Evento/visualizar/portugues/2298)

 

A Energy Sol participou da feita expondo a tecnologia do sistema fotovoltaico, tirando duvidas e mostrando aos visitantes e expositores sobre como economizar e ainda ajudar o Meio Ambiente.

Em duas décadas energia fotovoltaica deve saltar para 30% em capacidade de geração mundial

Da Agência Ambiente Energia – A fatia de energia fotovoltaica na capacidade de geração mundial deve saltar dos atuais 4% para cerca de 30% em 2040. É o que aponta o relatório da Bloomberg New Energy Finance (BNEF). Até lá 15% de toda a energia consumida no mundo virá do sol.

O documento aponta que mesmo em países sem qualquer tipo de subsídio, o custo da energia eólica onshore deve cair mais 41%, enquanto o preço da energia solar será reduzido em 60% nos próximos 25 anos. A previsão é de essas duas fontes que serão responsáveis por 64% da nova capacidade de geração mundial até 2040.

Representantes da BNEF acreditam que nem mesmo a queda do preço do carvão e do gás natural será suficiente para barrar a expansão das fontes alternativas. Dos US$ 11 trilhões em investimentos previstos em energia para os próximos 25 anos, apenas US$ 3,2 milhões serão gastos em combustíveis fósseis. Surpreendentes US$ 7,8 trilhões serão aplicados em energia renovável.

Segundo a BNEF, o ano de 2027 ficará marcado como o ponto de inflexão no cenário energético, quando a energia eólica e solar começam a ficar mais baratas do que o carvão e o gás natural. Apesar do crescimento do mercado renovável, de acordo com o estudo do BNEF, os combustíveis fósseis manterão uma participação de 44% na geração em 2040 – em comparação com dois terços em 2015.

Cerca de 963 GW de nova capacidade a carvão ainda serão adicionados até 2040 quase que exclusivamente em países em desenvolvimento, com políticas de mudanças climáticas fracas ou ainda por implementar.

 

FONTE: https://www.ambienteenergia.com.br/index.php/2017/01/em-duas-decadas-energia-fotovoltaica-deve-saltar-para-30-em-capacidade-de-geracao-mundial/30941

Microgeraço cresce 400% em um ano.

Da Agencia Ambiente Energia – De acordo com a Agencia Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o numero de consumidores que geram a própria energia elétrica cresceu quase 400% no ultimo ano. A agencia estima que o mercado vai continuar a crescer e, até 2024, o Brasil deverá ter 1,2 milhão de unidades produzindo eletricidade.

Os dados coletados pela Aneel apontam que em setembro de 2016 os consumidores que geram sua própria energia eram 5.525. No mesmo mês do ano passado, eram 1.155. Em setembro de 2014, apenas 293 consumidores geravam a própria energia.

A geração solar é a mais popular entre os consumidores que optaram pela micro geração distribuída. Das 5.525 conexões, 5.437 são desse tipo. Do restante, 40 são por eólica, 26 por biogás, 15 solar/eólica, cinco hidráulica e duas por biomassa. Segundo a Aneel, 78% dessas conexões estão instaladas em residências. Juntas, elas tem potência de 51.821 quilowatts (kW).